Insuficiência renal crónica, conselhos de um especialista

Alguns conselhos para doentes renais crónicos.

Quais são os sintomas de insuficiência renal?

Muitas das vezes, os sintomas são tão vagos, que acabam por passar despercebidos; você pode sentir-se cansado, com menos apetite, amento da sensação de sede, a pele fica desidratada, o cabelo pode tornar-se mais frágil, poderá sentir dor nos ossos, poderá sentir insônia. Quase constantemente existe uma hipertenão arterial, às vezes difícil de controlar, a diurése torna-se mais abundante e é necessário levantar-se várias vezes á noite para urinar; Somente na fase mais grave de insuficiência renal aguda pode ocorrer uma contração da diurese.

Como dagnosticar a insuficiência renal?

Para o diagnóstico é necessária a realização de alguns testes: o exame de urina para despiste de proteinúria, uréia e creatinina permitem fazer um diagnóstico inicial. O seu médico pode ainda avaliar com outros testes (tais como contagens de plaquetas para saber se já existe início de anemia, o açúcar no sangue para ver a sua resistência à insulina, ou eletrólitos como sódio, potássio, cálcio e fósforo para ver se existem alterações nessas substâncias).

É importante contar com um nefrologista que irá procurar a causa de sua doença com uma ecografia renal e da bexiga, e exames de sangue, tais como o emogás para avaliar o estado de acidose metabólica, e a sua evolução mediante a prescrição de terapias preventivas e corretivas adequadas. De vários estudos, tem sido visto que os pacientes seguidos desde as fases iniciais do nefrologista renal crônica, eles não chegam ou adiam o início do tratamento de diálise, o que acaba por melhorar a qualidade das condições de vida gerais, aumentando a expectativa de vida mesma .

O que podemos fazer?

  • Verifique a sua pressão arterial diariamente
  • Se você é diabético, mantenha a sua glicemia controlada com uma dieta controlada
  • Evite drogas nefrotóxicas
  • Tenha atenção ao colesterol alto e triglicerídeos, com dieta e terapia
  • Não fume
  • Previna infecções
  • Dieta moderadamente hipoproteica para aliviar o trabalho do rim e regular a ingestão de sais (sódio), potássio e fósforo

Quando começar a hemodiálise?

É necessário realizá-lo quando os rins já não conseguem trabalhar normalmente, contribuindo para a manutenção da saúde e equilíbrio do corpo para:

  • remover os excessos de sais e líquidos, evitando acumulação no corpo
  • Manter o equilíbrio de certas substâncias no sangue (potássio e bicarbonato)

Num quadro de Insuficiência Renal Crônica, os rins não se vão curar e o paciente terá que fazer hemodiálise pelo resto da sua vida; Se o seu médico achar adequado e necessário, você pode escolher ser colocado na lista de espera para o transplante de rim.

Como funciona a hemodiálise?

Na hemodiálise, utiliza-se um rim artificial que filtra o sangue de substâncias e líquidos tóxicos excessivos; antes de passar o sangue para o rim artificial, é necessário ter acesso vascular ao paciente, que pode ser: fístula arteriovenosa ou cateter venoso central.

A hemodiálise é dolorosa?

Você provavelmente notará um ligeiro inconveniente ao inserir as agulhas na fístula, mas geralmente não há outros problemas. É uma terapia indolor que permite que você leia um livro ao mesmo tempo, assista TV, converse e até coma.

Influência da hemodiálise no seu estilo de vida

A diálise geralmente vai faze-lo sentir-se melhor, resolver e corrigir muitas anormalidades relacionadas à insuficiência renal, mas você e sua família precisarão de algum tempo até se acostumarem com os ritmos da diálise.

Se você quizer viajar, você sempre pode fazê-lo, pois o tratamento de hemodiálise é padrão pelas várias clínicas de hemodiálise espalhadas pelo munto todo., fale com o seu nefrologista e consulte a equipa de nefrologia do seu hospital. Também é aconselhável fazer caminhadas e evitar uma vida sedentária.

Como variar a alimentação?

O paraché é variável dependendo da condição do paciente individual, mas em geral você pode comer livremente, sem exceder a introdução de líquidos e alimentos contendo potássio (batatas, frutas e vegetais)